Suave na Nave

Ola!
estou dedicando algumas horas do meu dia e fazendo este blog com um certo carinho".
Não tenho intenção de agradar todo mundo que navegar qui!
Não postarei coisas todos os dias,"tenho mais o que fazer".
Fique a vontade leve os discos e o que mais quiser...((Apenas lembre-se de pelo menos agradecer,pois não estou ganhando nada com isso!))
Obrigado!
(Eric Arvel)
Tecnologia do Blogger.
7 de mai de 2010

Raul Seixas

Raul Santos Seixas (Salvador, 28 de junho de 1945 — São Paulo, 21 de agosto de 1989) foi um cantor, compositor, produtor e músico brasileiro, é considerado por muitos o maior representante do rock brasileiro.Filho do engenheiro Raul Varella Seixas e da dona de casa Maria Eugênia Santos Seixas, Raul nasceu e cresceu na cidade de Salvador. Tinha um irmão, quatro anos mais novo, Plínio Seixas. Em casa, mergulhava nos livros que tinha à disposição, na biblioteca do pai.


Seu gosto musical foi se moldando: primeiro, no rádio, acompanha o sucesso de Luiz Gonzaga, e nas viagens, onde acompanha o pai, ouve os matutos desfiarem repentes - e esta "raiz" nordestina nunca o abandonara. Porém, logo Raul Seixas conheceu um estilo que influenciou muito sua vida: o Rock'n Roll. Raul teve contato com o Rock através do consulado norte-americano, que ficava próximo de sua casa. A partir daí, foram muitas horas diárias na loja "Cantinho da Música", ouvindo discos de rock e várias sessões nos cinemas, onde passou a apreciar as performances de Elvis Presley, de quem torna-se fã. Tão fã que chega a fundar o "Elvis Presley Fã-Clube de Salvador". Sempre gostou também de clássicos do rock dos anos 50 e 60.

Juntamente com alguns amigos de Salvador, monta um conjunto, "Os Relâmpagos do Rock", a primeira banda de Salvador a utilizar instrumentos elétricos.[carece de fontes?] Mais tarde, a banda muda de nome, passa a se chamar "The Panters", e por último "Raulzito e os Panteras". Fazem shows pelo estado em bailes e festinhas e até mesmo para um público de duas mil pessoas no Festival da Juventude. Mas o sucesso da banda não ultrapassava o eixo baiano, fato que aborrecia Raul.A decepção com o mundo artístico foi reforçada pelo namoro com a americana Edith Wisner. A pedidos do pai da garota - que era pastor protestante - Raul abandona a carreira musical.Algum tempo depois casa-se com Edith e passa a lecionar inglês e violão para ganhar a vida. Em 1967, Jerry Adriani vai a Salvador realizar um show, mas ele necessita de um músico local para tocar com sua banda. O pessoal local o indica Raulzito e Os Panteras. Raul Seixas o impressiona e é convidado para acompanhá-lo numa turnê pelo Rio de Janeiro pedido este que Raul Seixas aceita de imediato. E lá ele grava um disco pela gravadora Odeon.Após algum tempo, Raul foi convidado por Evandro Ribeiro para ser produtor da CBS (atual Sony BMG). Ali participa da produção de diversos artistas da Jovem Guarda, como o próprio Jerry Adriani, Leno e Lilian e mais tarde Sérgio Sampaio, Diana, entre outros. Também compõe mais de oitenta músicas para a Jovem Guarda.[carece de fontes?


Em 1971, Raul acaba se rebelando. Aproveitando a ausência do presidente da empresa, grava seu segundo LP (intitulado Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10), em que faz parceria com Sérgio Sampaio, Miriam Batucada e Edy Star. O disco, todavia, foi retirado do mercado sob o argumento de não se enquadrar à linha de atuação da gravadora e Raul acabou demitido.

Em 1972, participou do VII FIC (Festival Internacional da Canção), promovido pela Rede Globo, e conseguiu a classificação de duas músicas, "Let Me Sing, Let Me Sing" (um misto de baião e rockabilly)[1] e "Eu Sou Eu Nicuri é o Diabo". Devido à façanha, assinou com a gravadora Philips (atual Universal Music) para gravar o álbum Os 24 Maiores Sucessos da Era do Rock, que não tinha o seu nome na capa. Raulzito e os Panteras foi o primeiro álbum lançado pelo cantor e compositor brasileiro Raul Seixas.

No disco de vinil original, mono, a data do selo é 1967, porém na capa a data é 1968. Isso deve-se ao fato de o disco ter sido prensado em fins de 1967 e lançado no início de 1968. Reeditado em 1984 e 1989, em estéreo, foi lançado pela gravadora EMI/ODEON. Raul Seixas assina oito das 12 canções do disco. As vendas do disco foram consideradas baixas.





Em 1978, ano do lançamento do álbum, Raul Seixas retirou-se numa fazenda na Bahia, visando curar-se de uma pancreatite que o consumo intenso de álcool lhe causara - condição que lhe acompanharia por muitos anos e eventualmente provocaria sua morte. Lá conheceu sua futura esposa, Tânia Menna, com quem compôs "Mata Virgem" e "Pagando Brabo", e retomou a parceria, rapidamente, com Paulo Coelho, em "Judas" e "As Profecias".O álbum foge um pouco do rock and roll característico do cantor (somente as músicas "Judas" e "Pagando Brabo" são desse gênero); a canção "Pagando Brabo" conta com a participação de Pepeu Gomes na guitarra

1979 - Mata Virgem




(dados.Wikipédia, a enciclopédia livre)

0 comentários:

Postar um comentário

welcome

Penitentes

Deiche seu Recado AQUI!

Friends

Banner Radio Morfina

Banner do Blog

Parceiros da Morfina

Blog Impulsos

Blog de Vanessa Matos. Parceira,amiga e super criativa! Exatamente porisso faz parte da Radio. Otimo BLog!

Atenção

Estes links estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontram.Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em cada computador e devem ser descarregados apenas para teste, devendo ser apagados depois.Os autores deste blog incentivam os visitantes a comprarem os originais caso gostem.Obrigado por vossa compreensão e visita.